Artigos

FERROVIA EM AGONIA


O Sindicato dos Trabalhadores da Noroeste do Brasil vem a publico colocar mais uma vez sua posição e denunciar o fracasso do processo de concessões das ferrovias no Brasil.
Primeiramente que a nossa ferrovia de Três Lagoas a Corumbá está sem operações de transporte ferroviário de fato, restando somente o trecho do minério. Mais de 200 trabalhadores perderam seus postos de trabalho nesse período sendo demitidos. Assim como nossa frota de graneleíros que foi deslocada para o Paraná em 2008 em agosto de 2015 nossos vagões tanques tiveram o mesmo destino. Nosso parque industrial depois de saqueado esta sendo desmobilizado (Campo Grande, Três Lagoas, Aquidauana, Bauru e Araçatuba).
Em dezenove anos de concessão de nossa ferrovia o contrato nunca foi cumprido pela operadora, já em 2002 o TCU apontava pela caducidade do mesmo. Hoje a RUMO/ALL juntamente com o Governo do MS estão para apresentar estudos de viabilidade de nossa ferrovia com novas parcerias, as tais PPP, é mais dinheiro publico via BNDS ou FGTS esses dois últimos responsáveis por mais de 90% dos recursos, e quem paga é o povo.
O Governo Federal responsável pelas concessões foi omisso na fiscalização, a ANTT que seria o órgão fiscalizador foi conivente com as operadoras e nunca fez o que tinha que fazer, ou seja, cobrar o cumprimento das obrigações contratuais das OPERADORAS PRIVADAS.
Em 1996 teve inicio a privatização das ferrovias no Brasil e foram concedidos 22mil km de ferrovias hoje estão em operação menos de 11mil km, que demonstra o fracasso, onde está o aumento de transporte, ampliação da malha, segurança das linhas, etc., tudo previsto nos contratos de concessões, nós respondemos, foram todos rasgados e os responsáveis pela fiscalização fecharam os olhos e nada fizeram.
Em nossa visão só tem uma saída para a ferrovia que passa pela caducidade do contrato de concessão, indenização pelo saque promovido pela Operadora Privada e sua REESTATIZAÇÃO.

ROBERVAL DUARTE PLACCE. Coordenador geral. STEFBUMS